Aluno online

Imprimir

Projeto Institucional

Imprimir

SUBPROJETO DE MATEMÁTICA

ESCOLA PARCEIRA: E.M.E.F. HUMBERTO FRANÇA – ITUVERAVA-SP.
COORDENADOR DE ÁREA:  GLAUBER DA MOTA TEIXEIRA
CURRÍCULO LATTES: http://lattes.cnpq.br/1462328481544763
E-MAIL: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
PROFESSOR SUPERVISOR: RODRIGO EDUARDO GOMES LOPES

 

ALUNOS BOLSISTAS:

ANDRÉ CÁSSIO PATERRA;
DANIELA BIANCHI DA SILVA;
ETHIENE NERE MOREIRA DE MATOS;
LUCIANA PAULA DE ASSIS OLIVEIRA LEITE;
ROBERTA DA SILVA COSTA. 

 

APRESENTAÇÃO 

A maior contribuição do PIBID para a formação dos licenciandos em Matemática por meio deste Subprojeto é o fato de ele aproximá-lo do contexto da educação básica desde o início do curso da licenciatura e proporcionar, com isso, uma formação profissional mais qualificada aos mesmos, na medida em que busca a valorização e a revitalização das licenciaturas de um modo geral e da profissão docente, além de estimular e favorecer o trabalho coletivo e/ou à interdisciplinaridade, à pesquisa educacional e fundamentalmente à didática.

Assim sendo, o Subprojeto de Matemática está sendo desenvolvido com o propósito de uma contribuição formativa aos alunos bolsistas para renovação do processo de sua preparação para a docência, ou seja, na formação de um profissional qualificado para o magistério que seja capaz de exercer plenamente e com competência as atribuições que lhe são legalmente conferidas, além é claro, de colaborar com a continuidade da credibilidade da escola pública, reconhecendo-a como um importante espaço de formação.

OBJETIVOS:

• Estabelecer uma maior conexão entre a universidade e a escola, para que os alunos do curso de Matemática da FFCL de Ituverava, participantes do Subprojeto, tenham a oportunidade de vivenciar na prática o cotidiano do trabalho do professor dessa disciplina nas escolas públicas deste município, para que possam planejar e trabalhar ações modificadoras do pensamento e das atitudes do outro por meio da linguagem dos números;

• Oferecer ao docente da escola-parceira um suporte a mais para a sua formação continuada e a melhoria de seu exercício profissional;  

• Proporcionar aos licenciandos uma  formação profissional mais qualificada a fim de articular a teoria e a prática, na medida em que procura o estímulo à busca de soluções, planejamento e desenvolvimento de atividades de aprendizagem e de pesquisa relativas ao ensino e à escola, bem como contribuir para a valorização da docência.

AÇÕES PREVISTAS :

1º) Implementar a aproximação e viabilizar a integração entre o ensino básico público e a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) de Ituverava-SP, com o objetivo de permitir aos graduandos da instituição de ensino superior em questão a possibilidade de conhecer a realidade escolar para que possam planejar e trabalhar ações visando a mudança de atitudes do outro por meio da linguagem matemática, além de estimulá-lo a permanecer na carreira docente e contribuir para a valorização do magistério. Para que essa ação possa se efetivar, o professor coordenador, o professor supervisor e os alunos bolsistas estarão em contato constante, trocando  ideais e experiências, na busca de aliar a teoria e a prática, observando e atuando no andamento das atividades propostas.

2º) Apresentação do projeto na comunidade escolar: 

Com a participação do professor coordenador de área, professor supervisor, alunos bolsistas, alunos matriculados nas salas de aula selecionadas e seus respectivos pais e/ou responsáveis, e demais integrantes do quadro pedagógico da escola selecionada para apresentação da proposta de ações modificadoras de pensamento matemático junto ao alunado envolvido. Esta ação objetiva o envolvimento e a tomada de atitudes de todos os pares a fim de se estabelecer critérios de trabalho, deveres e responsabilidades por meio dessas ações modificadoras. Novas reuniões com a comunidade escolar, envolvendo todos os participantes do programa, serão realizadas sempre que houver a necessidade de discutir as ações a serem implementadas e o estabelecimento de metas a serem atingidas. Nessa ocasião, os alunos bolsistas registrarão as participações e as sugestões apresentadas.

3º) Participação em reuniões de ATPC na escola selecionada:

Sempre que houver necessidade, assegurar a participação em reuniões pedagógicas na escola selecionada para o desenvolvimento do subprojeto a fim de refletir sobre os objetivos elencados, conhecer suas principais ações, coletar informações para o planejamento das propostas e incorporar sugestões do grupo de educadores da escola. Esta ação tem como objetivo valorizar o trabalho coletivo e garantir maior envolvimento e possibilidades de continuidade do trabalho por toda a equipe escolar. 

4º) Realização de reuniões quinzenais entre os integrantes do referido subprojeto:

Tais reuniões objetivam contribuir e orientar os licenciandos bolsistas na organização de estudos, formação e no seu discurso final, enquanto os professores (supervisor e coordenador) acompanharão os registros e os nortearão quanto à aplicabilidade das tarefas propostas onde se aproveitará para se discutir metas a serem implementadas, procedimentos a serem desenvolvidos e objetivos a serem alcançados. 

5º) Confecção de material didático contendo atividades diferenciadas  e projetos para serem aplicados aos alunos das escolas selecionadas: Esta ação objetiva conduzir todos os envolvidos no subprojeto de Matemática aos novos conceitos e práticas referentes ao ensino da matemática e ao seu estudo. Dessa forma, espera-se proporcionar à todos a oportunidade das reflexões teóricas sobre a disciplina e os seus mais abrangentes e variados conteúdos além de promover a articulação entre as diferentes áreas do conhecimento matemático, aliando a teoria e a prática pedagógica.

Material confeccionado para aplicação em sala de aula: atividades diversas envolvendo a arte de aprender matemática brincando; Raciocínio lógico; Jogo dos sete erros para compreender diferenças; Quadrados mágicos; Fazendo números cruzados; Tabuadas Divertidas; Pirâmide dos números naturais, inteiros e racionais; Desafios matemáticos diversos; Enigmas; Listas de exercícios com aplicações no cotidiano do conteúdo trabalhado na semana; Banco Imobiliário, A matemática que se faz presente em toda parte, etc.

6º) Realização de registros, relatórios e portfólios de cada ação aplicada: 

Após cada ação aplicada, o aluno bolsista elaborará um portfólio e/ou relatório apresentando: nome da ação, competências e habilidades a serem desenvolvidas, aspectos relevantes da aplicação da atividade, a sua participação e a dos alunos envolvidos, e ainda os resultados observados. Com isso, busca-se por objetivo, registrar como e de que forma se deu a aplicação de tais conteúdos, uma vez que esse documento deve ser assinado pelo aluno bolsista e pelo professor supervisor e entregue ao professor coordenador nas reuniões quinzenais agendadas conforme anteriormente mencionado.

7º) Avaliar os resultados e divulgá-los junto à comunidade escolar e universitária, em seminários, em grupos de pesquisa, eventos acadêmicos e em congressos científicos, cujo objetivo é estimular o licenciando bolsista a permanecer na carreira docente e contribuir para a valorização do magistério visando sempre à melhoria da qualidade do ensino oferecido nas escolas de ensino básico e divulgá-los na comunidade científica para troca de experiências e outros.

 
Imprimir

SUBPROJETO INTERDISCIPLINAR

Subprojeto Interdisciplinar: A diversidade étnica cultural na escola: as séries iniciais do ensino fundamental entre a história, leitura e escrita
Escola parceira: EMEF. Professora Maria Barbosa
Coordenador de área: Prof. Ms. Marcio Andreza dos Reis
Currículo Lattes:
E-MAIL: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Professor supervisor: Magda Pereira Galindo

Alunos bolsistas:
Eliane Paixão da Silva (História)
Elaine Cristina Peres (Pedagogia)
Josilene Aparecida da Silva Pereira (Pedagogia)
Maria Aparecida Leite Nogueira (História)
Nabia Kelly de Sousa Silva (História)

Apresentação:

O subprojeto interdisciplinar: A diversidade étnica cultural na escola: as séries iniciais do ensino fundamental entre a história, leitura e escrita busca atender as orientações da Lei 10.639/03 que aponta para a necessidade de trabalhar e discutir a diversidade étnica e cultural brasileira nas escolas públicas e privadas no Brasil. Trata se de um projeto que busca contribuir para a construção da identidade do brasileiro bem como para a melhor compreensão de como a cultura e a sociedade brasileira foi forjada a partir das matrizes culturais: indígenas, europeias e africanas.

Objetivos:

Sensibilizar os alunos das séries iniciais do ensino fundamental para o conhecimento histórico e para a compreensão sobre a formação da sociedade brasileira sob a perspectiva cultural.

Contribuir para a compreensão dos elementos formativos da identidade brasileira a partir das matrizes culturais que formaram o povo brasileiro sendo as mesmas : o índio, o europeu e o africano, e auxiliar os alunos a compreensão de que o preconceito e o racismo presente na cultura brasileira são partes de um processo de construção histórica no qual o povo brasileiro foi constituído e no qual os grupos étnicos que deram origem ao povo brasileiro foram de modo desigual inseridos na ordem capitalista do mundo moderno.

Ações previstas 

1° - Etapa de implantação do projeto: reunião com as pessoas que participam do projeto: Coordenação, Supervisão e grupo discente. 

O objetivo é criar um grupo de estudos que discutam a identidade do povo brasileiro e a formação sociocultural no Brasil. Assim vamos organizar o cronograma de leituras, fichamentos, resenhas, proposta de elaboração de um artigo com o grupo discente e estabelecer as atividades que serão desenvolvidas na escola com as crianças.

É importante neste momento discutir questões interdisciplinares sobre os aspectos educacionais das crianças no 4° e 5° ano do ensino fundamental e discutir os preceitos históricos para a elaboração do material didático que será aplicado e corrigido pelo corpo discente na escola. 

2° Conhecer a escola as crianças e o universo de implantação do projeto

A proposta é conhecer a escola, participar das reuniões de planejamento e de organização das atividades da escola, bem como de conhecer as salas de implantação do projeto.

Neste momento vamos aplicar uma avaliação diagnóstica para conhecer as crianças, o que elas sabem sobre o universo da linguagem e escrita, bem como o conhecimento das mesmas sobre a formação do povo brasileiro, tendo como principal objetivo conhecer a sala e se estruturar para a experiência do projeto.

3° Desenvolvimento das atividades na escola: índios, europeus e africanos e a formação da sociedade brasileira.

Esta fase envolve o desenvolvimento de atividades de sensibilização das crianças para a questão da diversidade étnico cultural brasileira, trata se de atividades que focam em aspectos específicos de cada grupo ou matrizes que formaram o povo brasileiro: índios, europeus e africanos, nos momentos a preocupação é de apresentar a diversidade intrínseca em cada grupo e as formas de alocação das mesmas na formação da sociedade brasileira.

4° Socialização dos resultados do projeto: Os alunos deverão participar de eventos científicos para divulgação dos resultados do projeto interdisciplinar. Os resultados do subprojeto também  deverão  socializados com a comunidade escolar por meio da programação organizada e instituída pela Faculdade de Ciências e Letras de Ituverava.

5° Participação em cursos de formação: No decorrer das atividades do subprojeto os alunos deverão participar de cursos, oficinas e eventos acadêmicos.

6° Elaboração do portfólio: O registro das atividades desenvolvidas e a avaliação do subprojeto deverão ocorrer por meio da elaboração do portfólio, no qual todas as atividades dos alunos da escola e a produção discente deverá gerar um portfólio para que seja possível acompanhar a evolução do projeto, o desenvolvimento das atividades, bem como, reunir informações para possíveis artigos e materiais de divulgação do projeto. 

Imprimir

SUBPROJETO DE PEDAGOGIA

ESCOLA PARCEIRA EMEF “Fabiano Alves de Freitas”
COORDENADOR DE ÁREA: Maria Madalena Gracioli  e Priscila  Alvarenga Cardoso Gimenes

CURRÍCULO LATTES
Maria Madalena Gracioli   http://lattes.cnpq.br/6911873719047388
Priscila  Alvarenga Cardoso Gimenes http://lattes.cnpq.br/4587753636816706

E-MAIL
Maria Madalena Gracioli   - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Priscila  Alvarenga Cardoso Gimenes -  priscilagimenes1@gmailcom

PROFESSOR SUPERVISOR: (NOME COMPLETO)
Adriana de Fátima Marchiori
Cláudia Aparecida da Silva Pilotto
Érica Cristina Fernandes de Freitas
Marisilvia dos Santos Souza
Sônia Regina da Silva Lopes
Valéria Nogueira Bombig Tosta

ALUNOS BOLSISTAS:(NOME COMPLETO DOS BOLSISTAS)
Amanda Oliveira
Andressa Pereira Sabará
Ana Carolina Luiz Damião
Ana Gabriela Moreno
Ana Paula Souza Silva
Bianca Aparecida Silva
Bruna Melo Rodrigues
Elaine Maira Faria Lima Silva
Emiliane  Nunes Miranda Coelho
Érica Cristina Tosta Gonçalves
Gabriela dos Santos Silva
Gabriela Marra Pereira
Iolanda Maria Pereira da Silva
Jovana Márcia Albino  Fioco
Juliana Garcia Prata
Lucilaine Domingos Caetano
Michele Cristina da Silva Teixeira
Michele Cristina Martins da Silva
Michele Guiral Barbosa Costa
Pâmela Batista da Silva
Paula Gabrielle Weffort Guedes
Priscila Soares Vale de Araújo
Sandra Aragão dos Santos  Barbosa
Talita Helena dos Santos
Tatiane Vieira Rodrigues Rizieri
Tauani Carmem Mendonça dos Santos  
Thais Cristina Nicolino de Souza
Uaine Cristina Costa
Vivian Marques de Lima
Williene Cristina Silva Martins

APRESENTAÇÃO   DO SUBPROJETO

Atualmente há consenso entre os profissionais da educação que os jogos muito contribuem com o processo de ensino e aprendizagem, tanto nos aspectos emocionais e sociais quanto cognitivos e que potencializam o desenvolvimento das funções mentais superiores apresentadas por Vygotsky e valorizadas pelas neurociências. 

Entretanto, o que se observa no contexto escolar é que os docentes ainda não introduziram os jogos em sua rotina, minimizando as possibilidades de aprendizagem e desenvolvimento por parte dos alunos, pois por meio dos jogos, os alunos são motivados a prestar atenção e a concentrar-se, elaborar estratégias, avaliar possibilidades e tomar decisões, antecipar, memorizar e recuperar conteúdos e informações memorizadas, respeitar regras, ler, escrever, interpretar e compreender instruções, raciocinar, calcular, lidar com perdas e ganhos, entre outros.

Desta forma, o projeto “Jogos na Educação desenvolvido pelo subprojeto de Pedagogia  visa contribuir com a inserção de jogos, principalmente os de regras, em algumas Escolas municipais de Ensino Fundamental de Ituverava- SP, com o objetivo ampliar os conhecimentos dos docentes sobre o papel dos jogos na educação e colaborar com o desenvolvimento de habilidades como atenção, concentração, percepção, planejamento, memória, linguagem, entre outros que são requisitos básicos para todo o processo de aprendizagem dos alunos. 

Com este trabalho espera-se que os alunos apresentem melhora significativa em seu desempenho escolar e na construção de conhecimentos. 

OBJETIVOS:

Além dos objetivos previstos para o PIBID, este subprojeto também propõe:

• Ampliar os conhecimentos dos docentes sobre o papel dos jogos na educação e 

• Colaborar com o desenvolvimento dos alunos nas habilidades de atenção, concentração, percepção, planejamento, memória, linguagem, entre outros que são requisitos básicos para o processo de aprendizagem dos alunos na alfabetização, leitura, escrita, cálculo e resolução de problemas.

AÇÕES PREVISTAS: 

1-Formação do aluno bolsista e do professor supervisor;

Encontros periódicos do professor coordenador de área, professor supervisor e aluno bolsista, para estudo e reflexão sobre temas relativos ao subprojeto, com a finalidade de promover melhoria na formação inicial de professores e dos docentes que atuam na educação básica, bem como oferecer subsídio teórico e prático para a implementação do subprojeto nas escolas de ensino fundamental contribuindo para a valorização do magistério e elevação da qualidade das ações acadêmicas no curso de licenciatura. As reuniões ocorrerão aos sábados e terão a duração de duas horas. Alguns temas propostos inicialmente para desencadear o processo de formação: O jogo e os processos de aprendizagem e desenvolvimento: aspectos cognitivos e afetivos; Implicações do jogo no desenvolvimento infantil; Os jogos de regras em uma abordagem Piagetiana; Metodologias para o trabalho com jogos em sala de aula; O papel dos jogos no desenvolvimento das funções mentais superiores.

2-Realização de pesquisa sobre os jogos no contexto educacional;

 Sob orientação dos professores coordenadores de área, os alunos bolsistas realizarão pesquisas sobre o papel dos jogos no processo de ensino e aprendizagem, como metodologia oportuna para o desenvolvimento de competências, habilidades e estímulo ao desenvolvimento das funções mentais superiores; os tipos de jogos adequados para a faixa etária em questão e como utilizá-los no contexto escolar, visando apropriação e aprofundamento teórico para a realização do planejamento e execução das propostas. Caberá aos alunos bolsistas e professores coordenadores a seleção de novos materiais bibliográficos que possam contribuir com o subprojeto para que sejam apresentados após sintetizados, aos demais participantes do grupo.

3-Apresentação do projeto ao grupo de educadores na escola de ensino fundamental;

Participação do professor coordenador de área, professor supervisor e alunos bolsistas em uma reunião na escola de ensino fundamental a fim de: refletir sobre os objetivos do projeto, conhecer suas principais ações, coletar informações para o planejamento das propostas e incorporar sugestões do grupo de educadores da escola. Esta ação tem como objetivo valorizar o trabalho coletivo e garantir maior envolvimento e possibilidades de continuidade do trabalho por toda a equipe escolar. Os alunos bolsistas deverão registrar as participações e sugestões docentes, que posteriormente serão discutidas em reunião. Nessa reunião será muito importante a participação de toda a equipe gestora da escola.

4-Formação do grupo de educadores na escola de ensino fundamental;

Proporcionar ao grupo de docentes das escolas de ensino fundamental formação acerca da utilização de metodologias envolvendo jogos e da importância da inserção destes na rotina escolar, abrangendo os aspectos teóricos e práticos, com o intuito de promover maior integração entre a educação superior e a básica, elevar o nível de formação dos docentes que atuam nas escolas que sediam o projeto e possibilitar que estes introduzam novas estratégias didáticas e diferentes recursos pedagógicos. 

5-Participação dos licenciandos nas reuniões pedagógicas da unidade escolar;

Participação dos licenciandos nas reuniões pedagógicas da escola, para que se insiram nas diversas situações do cotidiano escolar, vivenciem situações de formação, reflexão sobre a teoria e prática, análise de casos didático-pedagógicos e planejamento, implementação e avaliação do Projeto Político Pedagógico. Tal ação possibilitará que os professores da educação básica contribuam com a formação inicial do magistério, atuando como co-formadores destes futuros profissionais. Os licenciados deverão se informar sobre dias e horários das reuniões pedagógicas da escola e o professor supervisor terá importante papel nessa articulação.

6-Definição dos jogos que serão desenvolvidos;

Seleção dos jogos por meio de pesquisas e do diálogo com os docentes do ensino fundamental, tendo em vista o desenvolvimento de competências discentes como: manter a atenção, concentrar-se, elaborar estratégias, antecipar, memorizar, ler, escrever, compreender instruções, raciocinar, calcular, lidar com perdas e ganhos, entre outros. Tal ação tem o intuito de desenvolver autonomia e possibilitar que o licenciando seja protagonista na construção do seu próprio conhecimento.

7-Planejamento das ações e elaboração de materiais didáticos;

O planejamento das ações terá como base a análise do processo de ensino e aprendizagem, das diretrizes e currículos educacionais da educação básica, na rotina e característica das classes e no diagnóstico dos alunos. Tem como objetivos relacionar a teoria com a prática e possibilitar que ao longo da implementação do projeto os licenciandos adquiram maior autonomia para planejar, desenvolver e avaliar as ações, sendo estas propostas em níveis crescentes de complexidade. A aquisição e confecção de jogos deverão ser discutidas e implementadas na universidade   a fim de que ocorra a troca de experiências e saberes entre os participantes

8- Implementação das ações com os alunos do ensino fundamental (oficina de jogos);

Semanalmente os alunos bolsistas desenvolverão as atividades planejadas (oficina de jogos) com os alunos da classe em que o projeto será implantado, com o acompanhamento do professor supervisor. Esta ação oportuniza ao licenciando a criação e participação em experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador buscando contribuir com a superação de problemas identificados no processo de ensino e aprendizagem. 

9- Elaboração de relatórios das ações;

Após cada ação aplicada o aluno bolsista elaborará relatório apresentando: nome da ação, aspectos relevantes da aplicação da atividade, participação dos alunos e resultados observados. O documento deverá ser assinado pelo aluno bolsista e professor supervisor e entregue ao professor coordenador nas reuniões. Tal ação possibilitará melhor acompanhamento da atuação dos licenciandos além de oportunizar a ampliação e o aperfeiçoamento do uso da língua portuguesa em situações formais. Essa ação contribuirá com o discurso dos estudantes e nela o professor supervisor deverá ter papel fundamental no acompanhamento dos registros.

10- Construção de um portfólio para o registro das ações desenvolvidas;

O licenciando construirá um portfólio para apresentação das ações desenvolvidas. Tal documento apresentará a ação desenvolvida, as competências e habilidades priorizadas, informações sobre o desenvolvimento da proposta e deverá conter fotos, cópia de atividades dos alunos e demais formas de registro que o licenciando julgar pertinente. Esta ação contribuirá com a sistematização das atividades, possibilitará melhor visualização das ações e a divulgação dos resultados alcançados. A elaboração do portfólio terá também o acompanhamento do professor supervisor

11- Avaliação do projeto pela escola participante;

Reunião com a equipe escolar para avaliação do projeto, bem como para adequação ou necessidade de reformulação das ações desenvolvidas. Com isso almeja-se o estabelecimento do diálogo e a articulação dos membros do programa e da comunidade escolar.

12- Socialização e discussão do projeto com os colegas;

Socialização das ações desenvolvidas, reflexão sobre o planejamento, implementação e avaliação das propostas realizadas e apresentação dos resultados alcançados, com todos os licenciandos no curso de Pedagogia, por meio de reuniões e momentos específicos e também mediante a criação de uma página no site da faculdade, com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade da formação de todos os discentes da graduação, estimular a inovação, a criatividade e a interação dos pares. 

13- Apresentação de trabalhos em eventos científicos; 

Incentivar a produção e a apresentação de trabalhos em eventos científicos, bem como publicação em periódicos científicos, discutindo os resultados das reflexões realizadas, socializando as ações desenvolvidas, os impactos e resultados alcançados. Tal ação oportunizará a ampliação e o aperfeiçoamento do uso da língua portuguesa, a divulgação de práticas inovadoras e a sistematização dos saberes e peculiaridades do fazer docente. Toda a equipe deverá atentar-se aos eventos e divulgá-los para todo o grupo. 

 

Veja Também

Prev Next

Menu do Aluno