Imprimir

SUBPROJETO DE LETRAS

SUBPROJETO DE LETRAS

ESCOLA PARCEIRA: E.M.E.F. Jardim Guanabara

COORDENADOR DE ÁREA: Profa. Dra. Lisângela A. Guiraldelli

CURRÍCULO LATTES: http://lattes.cnpq.br/550601937395

E-MAIL: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

PROFESSOR SUPERVISOR: Profa. Valdirene A. Laureano Sampaio

ALUNOS BOLSISTAS:

1º semestre de 2017

Cíntia A. Garcia Felício

Fabiana A. Borges Barbosa

Laís Freitas Oliveira

Leandra A. S. Zanelato

Luís Gabriel Silva de Faria

2º semestre de 2017

Cíntia A. Garcia Felício

Fabiana A. Borges Barbosa

Laís Freitas Oliveira

Leandra A. S. Zanelato

Isadora Gomes

APRESENTAÇÃO DO SUBPROJETO:

O Subprojeto de Letras faz parte de um projeto maior denominado PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Incentivo à Docência), financiado pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), e está sendo aplicado na E.M.E.F. Jardim Guanabara-Ituverava/SP-, desde 2014 até o momento. Neste ano de 2017 o subprojeto será trabalhado em uma sala de 8º ano do Ensino Fundamental II que ainda não participou do programa. O desenvolvimento do Subprojeto na esfera dos gêneros discursivos justifica-se, pois, segundo Alves Filho (2011), lidar com gêneros discursivos possibilita trabalhar a linguagem como elemento multidisciplinar, que pode ser estudado na vida real e, o contato com uma variedade de gêneros pode levar os jovens a terem mais poder de participação na vida cotidiana.

O Subprojeto de Letras trabalhou com o gênero textual Cordel de março de 2014 a dezembro de 2015. O tema foi selecionado, pois é uma forma de trabalhar uma das variedades dos gêneros textuais, além de trabalhar também a questão da variação linguística, da coesão, da coerência no momento da produção textual e das rimas e entonações.

Desde fevereiro de 2016 selecionamos outro tema, dentro do domínio dos gêneros discursivos, para dar continuidade ao nosso Subprojeto. Estamos trabalhando com a esfera jornalística. Esse tema foi escolhido por trazer uma diversidade de gêneros (notícia, reportagem, horóscopo, carta ao leitor, texto informativo, texto opinativo, charge etc.) que podem ser apresentados e trabalhados com os alunos, além de estimular a leitura e a criatividade. Esse tema terá continuidade no ano de 2017.

OBJETIVO:

O Subprojeto de Letras (2014-2017) tem como objetivo geral proporcionar aos alunos do curso de Letras da FFCL-FEI a oportunidade de vivenciar, na prática, o cotidiano do trabalho do professor de Língua Portuguesa em escolas públicas e, ainda, oferecer aos professores das escolas parceiras suporte para sua formação continuada e melhoria de seu exercício profissional.

Como objetivo específico, esse Subprojeto volta-se para a leitura, interpretação e produção de textos, focando a coerência e a coesão textual no ensino de Língua Portuguesa a fim de levar o aluno do Ensino Básico a ser capaz de identificar e produzir textos nos mais variados gêneros, levando em consideração o contexto, a situação de comunicação, os interlocutores, o conhecimento de mundo e linguístico, o grau de formalidade e o uso descritivo dos elementos da língua.

AÇÕES PREVISTAS

  1. Formação das equipes

A equipe de bolsistas do Subprojeto de Letras já está formada pelos alunos do curso de Letras citados acima. Para a composição dos integrantes sempre há um processo seletivo com edital que é disponibilizado para os alunos das licenciaturas. Os alunos interessados podem se inscrever e concorrer. Serão selecionados aqueles que cumprirem todas as etapas exigidas pelo Edital.

  1. Diagnóstico da escola

Em 2017 a escola parceira novamente passou por algumas reestruturações e os bolsistas realizaram, em forma de relatório, o diagnóstico da escola para registrar as modificações. No diagnóstico feito, os alunos contemplam informações sobre o histórico da escola, sobre a estrutura física e pessoal da instituição, sobre a gestão administrativa e pedagógica, sobre o perfil dos profissionais e dos alunos e a relação da instituição com a comunidade. Esse relatório foi realizado no período de março de 2017.

  1. Planejamento das ações a serem executadas pelo subprojeto

Apresentação do Subprojeto à comunidade escolar E.M.E.F. Jardim Guanabara

Reunião nas dependências da escola parceira com a presença de todos os integrantes do Subprojeto (professor coordenador de área, professor supervisor e bolsistas) para apresentação do Subprojeto, dos integrantes e das propostas a serem realizadas no ano de 2017. O objetivo da apresentação é partilhar as ideias do Subprojeto com a equipe gestora e como o quadro de docentes, criando um envolvimento de todos, e também para angariar sugestões do corpo de educadores para que as ações sejam valorizadas na escola e para que o Subprojeto possa caminhar com a ajuda de todos, num processo coletivo.

Participação dos bolsistas em reuniões pedagógicas da escola parceira (ATPC)

Os bolsistas participam, uma vez por mês, das reuniões pedagógicas na escola parceira. As reuniões acontecem às segundas-feiras, das 17:00 às 18:30. Essa atividade tem como objetivo inserir os alunos bolsistas em ambiente escolar para que eles possam refletir sobre o cotidiano escolar, vivenciar situações de formação, de decisões, de planejamento escolar. A observação dos bolsistas é registrada em forma de relatório que é entregue mensalmente.

Participação em reuniões de formação e orientação

São realizadas, quinzenalmente, reuniões entre todos os integrantes do Subprojeto para planejamento e discussão das ações referentes ao subprojeto e estudos teóricos sobre os temas tratados. As reuniões têm duração de uma hora e o objetivo é promover reflexões acerca das ações a serem realizadas para a melhoria na formação do docente supervisor e dos alunos bolsistas. As reuniões são orientadas por pautas e todos os integrantes fazem um relatório com anotações sobre as decisões tomadas.

As discussões teóricas são realizadas com base na leitura de textos acadêmicos para que tanto os bolsistas quanto o professor supervisor tenham um embasamento teórico que dê suporte às práticas desenvolvidas.

Com relação à formação dos bolsistas, os pibidianos têm a oportunidade de participar de curso de extensão, de semanas pedagógicas, de eventos científico-acadêmicos, com o objetivo de aprimorar os conhecimentos. Esse aprimoramento é acompanhado na produção de atividades, de material didático e de relatórios realizados pelos pibidianos.

  1. Desenvolver ações didático-formativas e pedagógicas

Elaboração de material didático

Com o tema Cordel (2014-2015), os bolsistas preparam materiais didáticos e aplicaram as atividades voltadas para a produção de poesia e prosa e apresentando as temáticas envolvidas na literatura de cordel (bichos, fábulas, história fantásticas, contos de fadas, humor). Essas atividades tiveram por objetivo trabalhar gêneros distintos e as necessidades de composição, de estilo e de estrutura de cada um, além de levar o aluno a reconhecer a sonoridade, as rimas, as variações de vocabulário e o uso coloquial e formal da língua, ou seja, trabalhar as mais variadas formas de gênero textual e suas aplicações no cotidiano. Além disso, os alunos produziram cordéis e xilogravuras para ilustrar suas produções.

Para a temática do jornal em sala de aula (2016-2017), no primeiro semestre de 2016, os bolsistas trabalharam uma introdução à história do jornal com vídeos ilustrativos e textos teóricos mostrando um breve panorama de como surgiu o periódico. Os bolsistas também desenvolveram atividades para apresentar as partes de um jornal, mostrando cada gêneros textual que compõe um jornal. No segundo semestre de 2016, os bolsistas preparam atividades, ou seja, material didático, para trabalhar em sala de aula. Os bolsistas realizaram atividades com os alunos que envolviam a produção de notícias e reportagens.

Para o ano de 2017, estão sendo pensadas atividades com vídeo, uma possível visita em um jornal para que os alunos da escola possam conhecer o funcionamento e a produção de um jornal impresso, atividades e sequências didáticas, exposições com os trabalhos dos alunos e a elaboração de um jornal na escola parceira.

  1. Acompanhar ações do subprojeto

Além das reuniões, que também são uma forma de planejar e acompanhar as ações, as atividades realizadas no Subprojeto de Letras são acompanhadas via elaboração de relatórios, de portfólios etc.

Elaboração de relatório

A cada ação e atividade desenvolvida pelos bolsistas há a produção de um relatório que registra como foi elaborado, como foi aplicado e qual o resultado de tal trabalho desenvolvido. Esses registros facilitam no acompanhamento e na orientação do professor supervisor e dos bolsistas para que haja aperfeiçoamento e unidade nas ações.

Elaboração de portfólio

Todos os alunos bolsistas elaboram portfólio ao final de cada ano. No portfólio constam todas as atividades realizadas no período de vigência do Subprojeto (relatório diagnóstico da sala e da escola, relatório de ATCP, relatório de reuniões de orientação e formação, resumos e resenhas de leituras teóricas, atividades elaboradas, material didático preparado, ficha de frequência, relatórios mensal e anual dos bolsistas e do professor supervisor, certificados de participação e apresentação de trabalhos em eventos científico-acadêmicos, fotos etc.). Todas as atividades são acompanhadas pelo professor supervisor e pelo professor coordenador de área. Essa ação ajuda na condução dos trabalhos, no acompanhamento do desenvolvimento dos bolsistas e dos alunos da escola parceira e na sistematização das atividades.

  1. Socializar resultados das ações desenvolvidas

Socialização das ações desenvolvidas

As ações e atividades precisam ser socializadas para que tanto a comunidade escolar quanto a acadêmica possa ter acesso aos trabalhos desenvolvidos. Essa socialização é fundamental para que se faça uma avaliação e uma reflexão sobre o planejamento, a implementação e os resultados obtidos pelo Subprojeto.

Planeja-se, ao final do ano de 2017, assim como aconteceu no final do ano de 2015, quando houve uma exposição dos trabalhos realizados e leitura dos cordéis feitos pelos alunos na escola parceira para que equipe docente e gestora, pais, funcionários e integrantes do Subprojeto pudessem apreciar, e como houve no final de 2016, quando os bolsistas participaram de uma exposição, juntamente com a escola parceira e os alunos, e apresentaram alguns gêneros jornalísticos produzidos pela turma do 8º ano, uma apresentação com exposição das atividades desenvolvidas pelos alunos da escola parceira.

Além disso, a socialização também é feita em site na página da FFCL/Ituverava-SP e em meio acadêmico, com participação em eventos científicos.

Participação em Eventos

Os bolsistas têm participado de eventos acadêmicos com apresentação de trabalhos em forma de painel e em forma de apresentação oral. Essas participações oportunizam a divulgação das ações desenvolvidas e os resultados obtidos com o trabalho no Subprojeto. E também é uma forma de adquirir e trocar experiências e novos conhecimentos. Além disso, os bolsistas também são incentivados a divulgar seus trabalhos em forma de publicação de artigos em periódicos científicos. Os bolsistas tiveram um artigo aprovado e publicado na Nucleus/FFCL em 2016 (O gênero literatura de cordel trabalhado no cotidiano escolar) e estão preparando outros artigos para compor um volume temático publicado pela Nucleus/FFCL, tão logo estejam prontos.

REFERÊNCIAS

ALVES FILHO, F. Gêneros jornalísticos: notícias e cartas de leitor no ensino fundamental. São Paulo: Cortez, 2011. (Coleção Trabalhando com ... na escola)

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Pontes, 2011.

BEZERRA, M. A. Por que cartas do leitor na sala de aula. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais e ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 208-216.

BONINI, A. Os gêneros do jornal: questões de pesquisa e ensino. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. S. (Orgs.). Gêneros Textuais: reflexões e ensino. 4. ed. São Paulo: Parábola, 2011. p.53-68.

CUNHA, D. A. C. da. O funcionamento dialógico em notícias e artigos de opinião. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais e ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 166-179.

FARIA, M. A. O jornal em sala de aula. 14. ed. São Paulo: Contexto, 2015. (Repensando a sala de aula).

LOPES-ROSSI, M. A. G. Gêneros discursivos no ensino de leitura e produção de textos. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. S. (Orgs.). Gêneros Textuais: reflexões e ensino. 4. ed. São Paulo: Parábola, 2011. p.69-82.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: configuração, dinamicidade e circulação. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. S. (Orgs.). Gêneros Textuais: reflexões e ensino. 4. ed. São Paulo: Parábola, 2011. p. 17-31.

SOUZA, L. V. de. Gêneros jornalísticos no letramento escolar inicial. In: DIONÍSIO, Ângela P.; MACHADO, Anna R.; BEZERRA, Maria A. (Orgs.) Gêneros textuais e ensino. 4.ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.