Imprimir

SUBPROJETO DE MATEMÁTICA

ESCOLA PARCEIRA: E.M.E.F. HUMBERTO FRANÇA – ITUVERAVA-SP.
COORDENADOR DE ÁREA:  GLAUBER DA MOTA TEIXEIRA
CURRÍCULO LATTES: http://lattes.cnpq.br/1462328481544763
E-MAIL: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
PROFESSOR SUPERVISOR: RODRIGO EDUARDO GOMES LOPES

 

ALUNOS BOLSISTAS:

ANDRÉ CÁSSIO PATERRA;
DANIELA BIANCHI DA SILVA;
ETHIENE NERE MOREIRA DE MATOS;
LUCIANA PAULA DE ASSIS OLIVEIRA LEITE;
ROBERTA DA SILVA COSTA. 

 

APRESENTAÇÃO 

A maior contribuição do PIBID para a formação dos licenciandos em Matemática por meio deste Subprojeto é o fato de ele aproximá-lo do contexto da educação básica desde o início do curso da licenciatura e proporcionar, com isso, uma formação profissional mais qualificada aos mesmos, na medida em que busca a valorização e a revitalização das licenciaturas de um modo geral e da profissão docente, além de estimular e favorecer o trabalho coletivo e/ou à interdisciplinaridade, à pesquisa educacional e fundamentalmente à didática.

Assim sendo, o Subprojeto de Matemática está sendo desenvolvido com o propósito de uma contribuição formativa aos alunos bolsistas para renovação do processo de sua preparação para a docência, ou seja, na formação de um profissional qualificado para o magistério que seja capaz de exercer plenamente e com competência as atribuições que lhe são legalmente conferidas, além é claro, de colaborar com a continuidade da credibilidade da escola pública, reconhecendo-a como um importante espaço de formação.

OBJETIVOS:

• Estabelecer uma maior conexão entre a universidade e a escola, para que os alunos do curso de Matemática da FFCL de Ituverava, participantes do Subprojeto, tenham a oportunidade de vivenciar na prática o cotidiano do trabalho do professor dessa disciplina nas escolas públicas deste município, para que possam planejar e trabalhar ações modificadoras do pensamento e das atitudes do outro por meio da linguagem dos números;

• Oferecer ao docente da escola-parceira um suporte a mais para a sua formação continuada e a melhoria de seu exercício profissional;  

• Proporcionar aos licenciandos uma  formação profissional mais qualificada a fim de articular a teoria e a prática, na medida em que procura o estímulo à busca de soluções, planejamento e desenvolvimento de atividades de aprendizagem e de pesquisa relativas ao ensino e à escola, bem como contribuir para a valorização da docência.

AÇÕES PREVISTAS :

1º) Implementar a aproximação e viabilizar a integração entre o ensino básico público e a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) de Ituverava-SP, com o objetivo de permitir aos graduandos da instituição de ensino superior em questão a possibilidade de conhecer a realidade escolar para que possam planejar e trabalhar ações visando a mudança de atitudes do outro por meio da linguagem matemática, além de estimulá-lo a permanecer na carreira docente e contribuir para a valorização do magistério. Para que essa ação possa se efetivar, o professor coordenador, o professor supervisor e os alunos bolsistas estarão em contato constante, trocando  ideais e experiências, na busca de aliar a teoria e a prática, observando e atuando no andamento das atividades propostas.

2º) Apresentação do projeto na comunidade escolar: 

Com a participação do professor coordenador de área, professor supervisor, alunos bolsistas, alunos matriculados nas salas de aula selecionadas e seus respectivos pais e/ou responsáveis, e demais integrantes do quadro pedagógico da escola selecionada para apresentação da proposta de ações modificadoras de pensamento matemático junto ao alunado envolvido. Esta ação objetiva o envolvimento e a tomada de atitudes de todos os pares a fim de se estabelecer critérios de trabalho, deveres e responsabilidades por meio dessas ações modificadoras. Novas reuniões com a comunidade escolar, envolvendo todos os participantes do programa, serão realizadas sempre que houver a necessidade de discutir as ações a serem implementadas e o estabelecimento de metas a serem atingidas. Nessa ocasião, os alunos bolsistas registrarão as participações e as sugestões apresentadas.

3º) Participação em reuniões de ATPC na escola selecionada:

Sempre que houver necessidade, assegurar a participação em reuniões pedagógicas na escola selecionada para o desenvolvimento do subprojeto a fim de refletir sobre os objetivos elencados, conhecer suas principais ações, coletar informações para o planejamento das propostas e incorporar sugestões do grupo de educadores da escola. Esta ação tem como objetivo valorizar o trabalho coletivo e garantir maior envolvimento e possibilidades de continuidade do trabalho por toda a equipe escolar. 

4º) Realização de reuniões quinzenais entre os integrantes do referido subprojeto:

Tais reuniões objetivam contribuir e orientar os licenciandos bolsistas na organização de estudos, formação e no seu discurso final, enquanto os professores (supervisor e coordenador) acompanharão os registros e os nortearão quanto à aplicabilidade das tarefas propostas onde se aproveitará para se discutir metas a serem implementadas, procedimentos a serem desenvolvidos e objetivos a serem alcançados. 

5º) Confecção de material didático contendo atividades diferenciadas  e projetos para serem aplicados aos alunos das escolas selecionadas: Esta ação objetiva conduzir todos os envolvidos no subprojeto de Matemática aos novos conceitos e práticas referentes ao ensino da matemática e ao seu estudo. Dessa forma, espera-se proporcionar à todos a oportunidade das reflexões teóricas sobre a disciplina e os seus mais abrangentes e variados conteúdos além de promover a articulação entre as diferentes áreas do conhecimento matemático, aliando a teoria e a prática pedagógica.

Material confeccionado para aplicação em sala de aula: atividades diversas envolvendo a arte de aprender matemática brincando; Raciocínio lógico; Jogo dos sete erros para compreender diferenças; Quadrados mágicos; Fazendo números cruzados; Tabuadas Divertidas; Pirâmide dos números naturais, inteiros e racionais; Desafios matemáticos diversos; Enigmas; Listas de exercícios com aplicações no cotidiano do conteúdo trabalhado na semana; Banco Imobiliário, A matemática que se faz presente em toda parte, etc.

6º) Realização de registros, relatórios e portfólios de cada ação aplicada: 

Após cada ação aplicada, o aluno bolsista elaborará um portfólio e/ou relatório apresentando: nome da ação, competências e habilidades a serem desenvolvidas, aspectos relevantes da aplicação da atividade, a sua participação e a dos alunos envolvidos, e ainda os resultados observados. Com isso, busca-se por objetivo, registrar como e de que forma se deu a aplicação de tais conteúdos, uma vez que esse documento deve ser assinado pelo aluno bolsista e pelo professor supervisor e entregue ao professor coordenador nas reuniões quinzenais agendadas conforme anteriormente mencionado.

7º) Avaliar os resultados e divulgá-los junto à comunidade escolar e universitária, em seminários, em grupos de pesquisa, eventos acadêmicos e em congressos científicos, cujo objetivo é estimular o licenciando bolsista a permanecer na carreira docente e contribuir para a valorização do magistério visando sempre à melhoria da qualidade do ensino oferecido nas escolas de ensino básico e divulgá-los na comunidade científica para troca de experiências e outros.